Saló ou Os 120 Dias de Sodoma

Votos do leitores
média de votos
Terror, Drama 117 min 1975 01/01/2002 ITA, FRA

Título Original

Saló o Le 120 Giornate di Sodoma

Curiosamente, "Saló ou Os 120 Dias de Sodoma" é a obra mais violenta do cineasta italiano, marcada pela opressão, sadismo, deboche e morte numa expressão de pura maldade. Pasolini transpõe “Os 120 Dias de Sodoma” do Marquês de Sade e apoia-se em textos de Roland Barthes, Maurice Blanchot e Pierre Klossowski para evocar os últimos dias da ditadura fascista italiana, no final da II Guerra Mundial. É no norte de Itália que se situa a República de Saló, controlada pelos nazis. Os Senhores, quatro homens no poder, reúnem os 16 belos jovens de ambos os sexos que serão levados para a mansão para servirem nas orgias. Já na mansão, três senhoras de meia-idade contam histórias bizarras que são recriadas pelos Senhores e pelos jovens, resultando em cenas de deboche, delírio sexual, humilhações, torturas e finalmente morte. Esta impressionante reflexão de Pasolini sobre a perversão do ser humano suscitou muita polémica e deixou plateias inteiras em estado de choque. “Saló ou Os 120 Dias de Sodoma” foi censurado em vários países e continua a ser, nos nossos dias, um filme perturbador. PÚBLICO

Sessões

  • Lisboa

Críticas dos leitores

Não existem críticas dos nossos leitores. Por favor envie-nos a sua através do formulário.

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!